Adições e tabagismo

Este grupo de investigação tem como objetivo compreender a epidemia do tabaco do ponto de vista das Ciências Sociais, com foco nos determinantes socioeconómicos e nas políticas antitabágicas.

Isto é baseado na evidência de que as desigualdades socioeconómicas no tabagismo são um dos principais motores de desigualdades em saúde e mortalidade, representando uma grande preocupação para a Saúde Pública e a justiça social. Existe também interesse no estudo de outras dependências, como o álcool e em outras desigualdades, nomeadamente a insegurança alimentar.

Num primeiro momento, este grupo visa compreender quais são os grupos mais vulneráveis ​​ao fumo passivo e onde o tabagismo é mais prevalente. Estuda-se de que forma a epidemia de tabaco se difunde desigualmente na população e como as políticas de controlo do tabagismo muitas vezes falham. Nem sempre é possível dar resposta aos diferentes grupos socioeconómicos, aumentando as desigualdades nos comportamentos de tabagismo.

Posteriormente, os investigadores procuram a ligação entre determinantes socioeconómicos e o tabagismo na adolescência. Isto requer uma compreensão profunda da diferenciação socioeconómica na adolescência, relacionada com fatores contextuais psicossociais, escolares e familiares. 

Nesta fase, os investigadores utilizam ferramentas específicas, diferentes das utilizadas para enfrentar o problema na idade adulta.

Em termos de metodologia de investigação, este grupo tem o interesse de desenvolver estudos essencialmente observacionais transversais e de coorte na área das adições envolvendo os seguintes temas, entre outras possibilidades:

1-Estudos de efetividade de intervenções breves

2–Estudos de efectividade de grupos de auto-ajuda com ou sem tratamento farmacologico

3 –Estudos de fatores de risco e de prevenção da recaída.

4 –Estudos de associação de comorbilidade psiquiátrica e uso de substâncias

5–Estudos de adição a elementos não necessariamente substâncias tal como co-dependência.

6- Estudos de caracterização de novas drogas “da moda” e suas consequências

7- Estudos transversais sobre desigualdades socioeconómicas nos comportamentos de risco

8- Estudos longitudinais sobre efetividade de politicas anti-tabágicas

9- Estudos qualitativos sobre perceção das políticas anti-tabágicas

10- Estudos de avaliação económica de intervenções e políticas anti-tabágicas

Os nossos Investigadores

Ana Escoval

Ana Frias

Antonio Bugalho

Carlota Louro

Ermelinda Caldeira

Iolanda Caires

Julian Perelman

PEDRO AGUIAR

Rita Gonçalves

Rúben Araújo

Tomás Teodoro